Português English

Gasto com territórios quilombolas despenca para 25% do valor de 2014

Inserido por: Administrador em 11/07/2017.
Fonte da notícia: De Olho nos Ruralistas


Foto: Agência Brasil

Não foi só a CPI do Funai e do Incra que optou por minar as duas instituições. O Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e a Fundação Nacional do Índio (Funai) estão entre as principais vítimas de cortes orçamentários do governo Temer, informou neste sábado a Folha: “Cortes no Orçamento atingem áreas sociais do governo“.

Como exemplo de redução no Incra, o jornal destaca o valor atual para indenização de imóveis em territórios quilombolas, R$ 3,5 milhões, em contraposição ao valor gasto em 2014, R$ 13,2 milhões. A cifra de 2017 é quase quatro vezes menor que a de três anos atrás.

“O Incra está paralisado e os conflitos nesses territórios podem se agravar”, diz ao jornal o presidente da Coordenação Nacional de Quilombolas (Conaq), Denildo Rodrigues de Moraes.

No caso da Funai, a Folha mostra que o valor gasto na proteção de índios isolados em 2014, por meio de fiscalização, era de R$ 6,5 milhões. Três anos depois, esse valor despencou para R$ 1,9 milhão – três vezes menos. A reportagem conta que a fundação reduziu as expedições para checar a segurança dos indígenas.

Ex-presidente da Funai, Toninho Costa disse na sexta-feira que, sem aporte financeiro na proteção dos índios isolados, as consequências podem ser trágicas.

A Folha mostra também que a verba para fiscalização de uso e da segurança e de barragens, na Agência Nacional das Águas, caiu de R$ 2,6 milhões para R$ 375 mil. Um valor sete vezes menor, portanto – no país que viu, há um ano e meio, o Rio Doce ser tomado pela lama da Samarco, em Mariana (MG).

O jornal paulista destacou quatro repórteres para o levantamento desses dados, mas publicou a reportagem no pé da página A19, abaixo de notícia sobre volta da deflação.

No Brasil

CDHM denuncia no Parlamento Europeu violações de direitos humanos de indígenas no Brasil

Parlamentares brasileiros denunciamm a eurodeputados as violações de Direitos Humanos contra os povos indígenas no Brasil.

Para MPF, áreas pendentes de demarcação indígena não podem ser alvo de reintegração de posse

Manifestação enviada ao STJ defende cumprimento de regras do Estatuto do Índio

Temer amplia ataques aos Povos Indígenas: o Parecer Anti-Demarcação

O governo Temer assumiu papel de protagonista nas agressões aos direitos e à vida dos povos indígenas no Brasil. Não apenas pela omissão, mas sobretudo com iniciativas antiindígenas.

Governo é “incapaz de sentir qualquer remorso com a dor de milhões”, afirma Rede Brasileira Justiça e Paz

Em mensagem pública divulgada após encontro, Rede Brasileira Justiça e Paz trata “anomalia do atual governo” como projeto que “legitima a adoção de políticas que, num quadro de normalidade, jamais...

Indígenas denunciam a comissionário da OEA crescente violência contra suas comunidades e exigem do Governo andamento nas demarcações

Indígenas reuniram-se na tarde de ontem, domingo (12), com o comissário da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da OEA, James Cavallaro. A delegação apresentou a realidade de violação...

Total de Resultados: 658

Página atual: 1 de 132

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv