Português English

Justiça suspende leilão que financiaria milícias contra indígenas

Inserido por: Administrador em 04/12/2013.
Fonte da notícia: Assessoria Cimi/MS

Ruy Sposati, de Campo Grande (MS)

A juiza Janete Lima Miguel, da 2a. Vara de Campo Grande da Justiça Federal determinou que o Leilão da Resistência não seja realizado. Convocado pela Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul) e Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), o leilão, marcado para o próximo dia 7, venderia para financiar seguranças armados contra indígenas.

Na terça-feira, 3, o conselho do Aty Guasu Guarani e Kaiowá e o Conselho Terena entraram com uma ação na Justiça Federal exigindo a suspensão do leilão, denunciando que ruralistas planejavam realizar a atividade para arrecadar fundos para a "contratação de empresas de segurança em supostas defesas de terra”, conforme apontava a petição inicial dos indígenas.

“Esse comportamento por parte da parte [fazendeiros] não pode ser considerado lícito, visto que pretendem substituir o Estado na solução do conflito existente entre a classe ruralista e os povos indígenas”, afirma a decisão da juiza. “Tal comportamento tem o poder de incentivar a violência (…) e colide com os princípios constitucionais do direito à vida, à segurança e à integridade física”.

Além de suspender o leilão do dia 7, a decisão também proibe a realizaçao de outros leilões similares em locais e datas diversas”, sob pena de multa de 200 mil reais, caso sejam realizados.

“Viajei do meu tekoha até aqui para falar para a juíza sobre esse leilão”, conta Genito Kaiowá, filho do cacique Nízio Gomes, do Guaiviry, assassinado em sua própria aldeia em novembro de 2011. Ele viajou do município de Aral Moreira, a 411 quilômetros de Campo Grande, para uma reunião com a juiza. "Antes de eu sair eu pedi para o Ñanderu (rezador tradicional) rezar bastante para que nós tivéssemos vitória. Eu nem precisei conversar com ela”, conclui.


MS

Em SP, guarani ocupam Pateo do Collegio pela demarcação de suas terras

Indígenas cobram assinatura de Portarias Declaratórias que garantem a demarcação das Terras Indígenas Tenondé Porã e Jaraguá

Violações a direitos indígenas, foco de nova audiência da Comissão Nacional da Verdade em MS

Relatos de 6 etnias poderão ser base para possíveis pedidos de indenização coletiva, ou outras ações compensatórias, em favor das comunidades indígenas

Bang, Bang, Pow, Pow – Faroeste e futebol em terra Guarani Kaiowá

PYELITO KUE “O senhor pode chamar a Polícia Federal aqui? Estão atirando em nós.” Quase um ano e meio depois da histeria em torno da carta que anunciou a morte coletiva, a vida pouco mudou para as...

Jornalista é condenado por postagens racistas a indígenas na internet

Mensagens foram dirigidas a indígenas Guarani Kaiowá

Mais um ataque de pistoleiros contra a comunidade de Pyelito Kue

Foi o terceiro nos últimos 30 dias

Total de Resultados: 512

Página atual: 1 de 103

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv